Caí abre safra e deve colher 9,6 mil toneladas de bergamota

Uma bela manhã de sábado, de sol e temperatura muito agradável. Mas, muito além disso, uma manhã de reforçar o otimismo e a vontade de produzir da citricultura de São Sebastião do Caí. Assim foi a tradicional Abertura Festiva da Safra da Bergamota, ocorrida na propriedade de Rodrigo Gossler, na localidade de Monjolo, interior do município.

A solenidade teve a presença de produtores e comunidade local, secretários municipais, vereadores, deputados federais e estaduais, técnicos da Emater/Ascar e representantes de instituições financeiras, do prefeito Clóvis Duarte, do vice-prefeito Luiz Alberto Oliveira e das soberanas da 21ª Festa da Bergamota e das Flores, rainha Daniela Vizentini e princesas Franciele Simon e Ana Luize Jacob. Segundo dados da Emater, os citricultores caienses tem 480 hetacres ocupados com pomares de bergamota, que devem produzir este ano 20 toneladas por hectare e resultar em uma safra de aproximadamente 9,6 mil toneladas da fruta símbolo de São Sebastião do Caí.

O floricultor Pedro Holdefer, presidente da Festa da Bergamota, destacou a importância da valorização da citricultura. “Temos grandes empresas na nossa cidade, mas é pela produção de citros que somos conhecidos em todo o Estado. Os agricultores, especialmente aqueles que produzem frutos e plantas são a alma da festa e merecem ser valorizados sempre.” Holdefer e as soberanas O vice-prefeito foi além. “Somos o maior produtor de flores de corte do Estado e um dos maiores produtores de citros. Só por esses dois fatores já se justifica festejarmos o início de uma nova safra”, afirmou Luiz Alberto Oliveira.

Após a solenidade autoridades e técnicos foram até a entrada do pomar de Rodrigo Gossler para fazer a colheita simbólica das primeiras bergamotas da safra 2018.