Assistência Social atende mais de mil pessoas por mês

Em plena Campanha do Agasalho, batizada no município de Caí no Aconchego 2019, a Secretaria de Assistência Social de São Sebastião do Caí trabalha em duas frentes: buscar as doações feitas diariamente pela comunidade e atender as centenas de pessoas que procuram ajuda todos os meses. Na Casa Social Egon Schneck, localizada na sede da secretaria (antiga Blavel) há um espaço com um grande estoque de peças de roupa, mas todo o auxílio em forma de donativos é sempre muito bem vindo.

Segundo a secretária Neiva dos Santos, mais de mil pessoas são atendidas mensalmente pelo município. “São pessoas que buscam agasalhos, alimentos e um local para ficar, Todas são cadastradas e, para poderem receber auxílio, devem apresentar documento de identidade e comprovante de endereço.” Ela destaca que, para retirada de roupas, o atendimento é feito nas terças-feiras, das 8 às 11h30min e das 13h15 às 16h30min, e nas sextas-feiras, das 7h30min às 13 horas. E os dias de frio intenso fizeram aumentar a demanda. “Temos registrado aumento na procura e precisamos sempre de agasalhos, mas agora principalmente de alimentos, cobertas, cobertores e roupas de cama. Sempre pedimos que esses itens estejam em condições de uso”, ressalta Neiva.

Sobre a campanha do agasalho, Neiva explica que problemas com veículo para fazer a coleta nos pontos de doação foi resolvido essa semana. “Isso atrasou um pouco o cronograma de recolhimento, mas agora tudo será normalizado.” A secretária lembra que há pontos de doações no centro social, na sede da Secretaria de Assistência Social (antiga Blavel), na prefeitura, na rede bancária e mercados da cidade.

Famílias destacam importância do auxílio prestado

Na manhã desta sexta-feira, dia 5, o movimento foi constante no espaço de doações de roupas da Secretaria Municipal de Assistência Social. Entre as pessoas que foram ao local estava a dona de casa Fernanda Duarte Borges, 36 anos, que levou o pequeno Émerson, de seis meses, para escolher agasalhos para o menino. “É muito bom ter essa alternativa. Meu marido conseguiu trabalho recentemente, então poder ter mais roupas para meus pequenos é fundamental nesse frio”, disse ela, que tem ainda outros dois filhos, de 5 e 9 anos de idade.